• (41) 3671-8800
  • Seg. à Sex. 8h00 às 12h e 13h30 às 17h30

Borda do Campo recebe CEU das Artes

 

Publicado em: 18/12/2020 17:52 | Fonte/Agência: Departamento de Comunicação

Whatsapp

 

O distrito de Borda do Campo recebeu hoje (18) o CEU das Artes - Centro Cultural Maria Elza França Duarte. O espaço, que será um divisor de águas na promoção cultural, foi inaugurado pelo prefeito Angelo Andreatta (Lara) e pela secretária de Assistência Social e Cultura, Adriane Gomes Andreatta.
    
O Centro Cultural dispõe de 510 metros quadrados de área construída, com teatro, sala multiuso para aulas de dança e pintura, camarim, biblioteca, laboratório de informática, recepção e áreas de suporte, como sanitários, sala administrativa e cozinha. Os investimentos somam cerca de R$ 1,2 milhão e são provenientes do Governo Federal, por meio de emenda parlamentar do deputado federal João Arruda. 
    
O valor contempla a área de construção, mobiliário e as ações de mobilização social. A mobília já foi adquirida e deve ser entregue já no início do ano que vem. 
    
"É, sem dúvida, um momento ímpar de nossa gestão. Entregando este equipamento maravilhoso de incentivo à cultura, de valorização dos nossos artistas, de estímulo às novas gerações. Tenho certeza de que este espaço vai empoderar e fortalecer o meio artístico e cultural", disse Lara.
    
A secretária Adriane falou do orgulho e da satisfação de entregar o novo CEU das Artes. "Esta obra consolida o trabalho que realizamos nesses 4 anos. Um  trabalho de respeito e de carinho com a cultura e com todos os nossos artistas, de quem tenho um profundo orgulho", destacou ela. 

Esperança
Ao chegar ao CEU das Artes, o visitante logo encontrará a escultura "Esperança", do artista Jonas Corrêa. Ele doou a obra de arte para compor o Centro Cultural, como  incentivo e sensibilização da importância da consolidação de espaços culturais como este.

"Minha grande inspiração foi minha mãe Saly. Ela sempre nos ensinou que a forma mais espontânea de homenagear alguém é com algo que você mesmo fez, porque ali está sua emoção. Sabemos da dificuldade de viabilizar espaços voltados à cultura, por isso, esta obra é ainda mais importante", disse.
    
Na forma de uma mulher estendendo o filho ao alto, o artista quis retratar a esperança, tão fortalecida e necessária nestes tempos de pandemia. Esperança de tempos melhores, de valorização contínua da arte.  
 


Imagens