• (41) 3671-8800
  • Seg. à Sex. 8h00 às 12h e 13h30 às 17h30

Projeto Ensinar para Proteger é lançado na Escola Tancredo Neves, na Campininha

 

Publicado em: 19/03/2018 18:33

Whatsapp

 

Inserir a educação ambiental e a prevenção de acidentes no dia a dia das crianças é uma das metas do projeto "Ensinar para Proteger", lançado no último sábado (17) pela Defesa Civil de Quatro Barras e parceiros na Escola Tancredo de Almeida Neves, na Campininha.
O projeto é uma ação a vários mãos. Além da Defesa Civil, o Corpo de Bombeiros, Polícia Ambiental, secretarias de Educação e Meio Ambiente, Coordenadoria de Defesa Civil de Curitiba e a empresa Enaex Britanite também estão juntas no projeto, que começa na primeira semana de abril.
"Investir na criança é prevenir. Não adianta apenas socorrer as vítimas de um deslizamento, alagamento ou incêndio. O principal papel da Defesa Civil é evitar que essas tragédias aconteçam e orientar como agir diante delas. Tudo isso começa pela educação, e as crianças são as melhores multiplicadoras", disse a coordenadora da Defesa Civil, Rosamaria Ferreira Duarte.
Por estar localizada em uma área verde na Campininha, a escola se encaixa nos objetivos do projeto. Temas como o contato com animais, cuidados com acidentes domésticos, primeiros socorros, descarte de resíduos, flora, fauna e pesca serão alguns dos temas abordados, com a expertise de quem vive isso na prática diariamente. Um simulado de plano de evacuação na escola também está previsto para o dia 4 de abril.
No evento de lançamento do projeto, pais, alunos, professores e comunidade estiveram presentes. Todas as instituições parceiras também foram representadas. O 2º tenente do 7º Grupamento de Bombeiro, Lucas Gross; o sargento da Força Verde, Alexandre Ribas de Almeida; os coordenadores da Defesa Civil de Curitiba, Nelson de Lima Ribeiro e Marcelo dos Santos; a secretária de Educação, Leila Busnardo Dolato; o secretário de Meio Ambiente, Ezequiel Mocelin; e a coordenadora de Sustentabilidade e Relacionamento com a Comunidade da Enaex, Vanuza Sennes estiveram presentes.
Aprovação
A moradora do Palmitalzinho, Sônia Fátima Ricci, de 25 anos, aprovou a novidade. "Vai ser muito importante para a minha filha. Com este conhecimento, as crianças vão saber o que é perigoso, o que não é, e como agir corretamente", disse.
Edinete de Matos, também moradora da área rural, ficou contente com a iniciativa. "Adorei o projeto. Vai ser muito bacana, porque além dos alunos vai envolver toda a comunidade, até porque as crianças são assim. Tudo que aprendem na escola querem logo contar em casa", destacou.
O diretor da escola, Roberson Ramos, falou da alegria da equipe ao receber o convite para participar do projeto, não só pelas parcerias, mas pelo conteúdo que vai agregar para cada aluno.